terça-feira, 12 de julho de 2016

12/07/2016 23h07 - Atualizado em 12/07/2016 23h16

Em jantar, Paulo Roberto Falcão aceita proposta e é o novo técnico do Inter

Treinador acertou detalhes de retorno ao colorado em reunião com direção nesta terça

Por Porto Alegre
De um ex-jogador para outro. Mas desta vez se trata do principal ídolo do clube. Paulo Roberto Falcão é o novo técnico do Inter. O eterno camisa 5 se reuniu com o presidente Vitorio Piffero e o vice de futebol Carlos Pellegrini na noite desta terça-feira em um restaurante de Porto Alegre, onde jantou e acertou todos os detalhes da terceira passagem ao Beira-Rio como treinador.
O ex-volante não treina um clube desde que deixou o Sport em abril deste ano. Ele entrou na mira da cúpula colorada após as negativas de Abel Braga e Mano Menezes, que não cederam às investidas. Muito também em razão de desentendimentos antigos.
Paulo Roberto Falcão, técnico, Inter, restaurante (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)Paulo Roberto Falcão se reunir com dirigentes em restaurante (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)
Falcão fará sua terceira passagem como técnico do Inter. A última ocorreu em abril de 2011, quando foi campeão gaúcho com uma vitória sobre o Grêmio em pleno Olímpico. Porém, desgastado com a direção, comandada então por Giovanni Luigi, saiu três meses depois, em julho. Ele também já havia comandado o Colorado em 1993.
Há cinco anos, Falcão deixou o clube junto do vice de futebol Roberto Siegmann em decorrência de desavenças com Luigi. A mudança geral aconteceu depois de três derrotas seguidas no Brasileirão daquele ano. Siegmann sustentava o trabalho do treinador, mas o rendimento era contestado. O Inter ganhou o Gauchão com Falcão, mas caiu nas oitavas de final da Libertadores ao perder para o Peñarol em pleno Beira-Rio e patinou no Brasileirão. Ao todo, foram 19 jogos, com oito vitórias, quatro empates e sete derrotas.
Falcão foi tricampeão brasileiro pelo Inter, em 1975, 1976 e 1979. Ele foi revelado  no Beira-Rio, em 1973, e em 1980 rumou para o Roma, em que é idolatrado como um dos maiores craques da história do clube italiano. Ele disputou as Copas do Mundo de 1982 e 1986.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

11/07/2016 06h00 - Atualizado em 11/07/2016 06h00

Abel, Mano, Luxa e Zago: os nomes cotados para substituir Argel no Inter

Direção pretende fechar com um técnico de renome, mas eleição presidencial vira entrave e deixa aberta possibilidade de comandante sem tanto cartaz

Por Porto Alegre
Carrossel-Tecnicos-Inter (Foto: infoesporte)Carrossel-Tecnicos-Inter (Foto: infoesporte)
Argel já não comanda mais o Inter. Mas quem será o próximo treinador? A direção trabalha para encontrar o substituto o mais rápido possível. Após a aposta em um técnico emergente, a intenção é fechar com um consagrado. Abel Braga desponta como favorito, mas Mano Menezes, Vanderlei Luxemburgo também são opções. Porém, em caso de declínio, um outro estilo aparece entre os cotados. Antônio Carlos Zago se enquadra no perfil de "aposta".
A diretoria, inclusive, se reuniu durante a noite deste domingo para iniciar a reformulação no vestiário que culminou com a demissão de Argel. Estiveram presentes o presidente Vitorio Piffero, o vice de futebol Carlos Pellegrini, além do vice-presidente Pedro Affatato e o diretor de futebol Marcos Marino. Os dirigentes prometeram se pronunciar no início da manhã, antes de iniciar retorno à Porto Alegre, para traçar o futuro do clube. 
SEMPRE ABEL
Abel é o principal nome. Após passagem pelo Al-Jazira, o técnico está sem clube no Rio de Janeiro. Porém, não pode acertar até o fim do mês. Apesar do ruído de comunicação do período eleitoral, quando Piffero afirmou que Tite era seu preferido, o que entristeceu Abel, há um sentimento que é possível reverter o quadro, até pelo carinho que o treinador campeão da Libertadores e do Mundial de 2006 nutre pelo Colorado. No Inter, entretanto, se diz que está próximo de ser anunciado pelo Flamengo.
Abel Braga Al Jazira (Foto: Facebook Al Jazira)Abel Braga está sem clube desde o fim de 2015 (Foto: Facebook Al Jazira)

TENTATIVA DE PAZ
Mano Menezes também permeia a lista. Após trabalhar no Shandong Luneng, da China, voltou ao Brasil. Assim como Abel, precisa ser demovido da mágoa criada na época da eleição, quando o mandatário disse que, por uma questão de perfil, entendia que não pudesse trabalhar com o ex-técnico da Seleção, Grêmio, Corinthians e Cruzeiro. 
Mano Menezes despedida Shandong Luneng (Foto: Reprodução/Twitter)Mano Menezes em despedida no Shandong Luneng (Foto: Reprodução/Twitter)


VELHO SONHO
Vanderlei Luxemburgo Tianjin Quanjian (Foto: Reprodução)Vanderlei Luxemburgo tem contrato com o Tianjin Quanjian, da China (Foto: Reprodução)
Há ainda Vanderlei Luxemburgo. Multicampeão entre o final dos anos 90 e o início dos anos 2000, sempre gozou de prestígio com Vitorio Piffero, que o tentou contratar em duas oportunidades (2010 e ano passado). Ex-jogador do Inter, também sempre deixou claro o carinho pelo clube gaúcho. 
Foi, inclusive, contatado. Ocorre que, ao ser demitido do Tianjin Quanjian, também da China, ficou acordado que seria uma espécie de consultor e não poderia fechar com outro clube em razão dos valores que tem a receber até o final do ano, o que precisaria abrir mão em caso de aceitar a proposta gaúcha.
Os três técnicos têm por hábito fechar contratos de longa duração. O que surge como entrave. Afinal, no final do ano, há um pleito eleitoral e só um acerto com os candidatos da oposição para que o novo comandante do vestiário estivesse em 2017 no clube.
OUTRA FRENTE
Antônio Carlos Zago Juventude (Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)Antônio Carlos Zago tem perfil de "aposta" 
(Foto: Eduardo Moura/GloboEsporte.com)
Por esta dificuldade, a cúpula deixa aberta a possibilidade de voltar a realizar uma aposta, com um vínculo menor. Neste quadro, surge Antônio Carlos Zago. O ex-zagueiro levou o Juventude ao vice-campeonato do Gauchão, eliminando o favorito Grêmio nas semifinais.
Enquanto não define o treinador, o auxiliar Odair Hellmann voltará a cumprir a função interinamente a partir de terça-feira. 
Com o resultado, o Inter segue com 20 pontos e ocupa a oitava posição. Na próxima rodada, o time enfrenta o Palmeiras. A partida está marcada para o domingo, às 16h, no Beira-Rio.

domingo, 10 de julho de 2016

10/07/2016 20h00 - Atualizado em 10/07/2016 20h35

Após sexto jogo sem vitória no Brasileirão, Argel é demitido do Inter

Técnico não suportou a fase ruim. No seu período, comandou o Inter em 61 partidas

Por Recife
A situação ficou insustentável. O sexto jogo sem vitória encerrou a passagem de Argel pelo Inter. Após a derrota por 1 a 0 para o Santa Cruz neste domingo, a direção demitiu o treinador e agora volta ao mercado para encontrar alguém para comandar a equipe neste segundo semestre.
A confirmação da demissão foi por meio do site oficial do Inter, após reunião da diretoria do Inter no hotel da delegação em Recife. O técnico permaneceu por quase 11 meses no cargo. Neste período, foram 61 partidas com 32 vitórias, acumulando 60,6% de aproveitamento.
– O Sport Club Internacional, através de sua diretoria, decidiu tomar novos rumos na temporada e o treinador Argel Fucks deixa o comando da equipe. O Inter agradece a Argel pela dedicação, trabalho e conquistas no período e deseja sorte na sequência de sua exitosa carreira – publicou o comunicado. 
Argel SANTA CRUZ x INTER (Foto: Agencia Estado)Argel na derrota diante do Santa Cruz (Foto: Agencia Estado)

LEIA MAIS
> Direção agenda reunião para definir situação do técnico
> Tempo Real de Santa Cruz 1x0 Inter

Antes do duelo em Recife, o presidente Vitorio Piffero havia garantido a permanência do treinador em qualquer circunstância. No entanto, Argel não conseguiu resistir após a derrota, somada a fraca atuação diante de uma equipe que vinha de cinco derrotas consecutivas. 

Na entrevista coletiva, Argel disse que não pediria demissão. Mas admitiu a fase difícil e deixou o futuro a cargo da direção, que optou pela mudança de comando. 

– Futebol não vive de relacionamento, mas de resultado. Sou o único responsável pelo momento. Não sou treinador de abandonar o barco. Meu cargo sempre está a disposição e quem definirá é o presidente. É ele quem tem a caneta para fazer o que entende melhor para a instituição – admitiu, após a partida. 
Argel - SANTA CRUZ x INTER (Foto: Agência Estado)Argel não resistiu após a sexta partida sem vitória (Foto: Agência Estado)
Durante a estadia no Beira-Rio, Argel se apegava aos resultados como escudo de seu trabalho. A produção foi vistosa em poucas oportunidades. Porém, tinha o grupo nas mãos. Os jogadores nunca esconderam o carinho a dedicação para devolver as ações do chefe.
A sequência negativa, entretanto, complicou sua permanência. Às vésperas do Gre-Nal – derrota por 1 a 0 –, um áudio vazado do técnico dizia que "se Deus quiser, passaria o trator por cima deles". Após o revés, os jogadores gremistas provocaram e disseram que as palavras do Colorado foram utilizadas para motivar ainda mais o grupo.
Arrancada em 2015
Sob sua batuta, Argel fez o Inter ter a segunda melhor campanha no returno do Brasileirão em 2015, mas não o suficiente para colocar a equipe na Libertadores. Neste ano, ficou com as taças da Recopa Gaúcha e o Gauchão.
Argel foi contratado para substituir Diego Aguirre. Seu nome acabou escolhido após as negativas de Muricy Ramalho, Mano Menezes e Jorge Sampaoli. A decisão pelo ex-zagueiro veio por ter um perfil "sanguíneo", diferente do uruguaio, mais comedido.