domingo, 10 de julho de 2016

10/07/2016 20h00 - Atualizado em 10/07/2016 20h35

Após sexto jogo sem vitória no Brasileirão, Argel é demitido do Inter

Técnico não suportou a fase ruim. No seu período, comandou o Inter em 61 partidas

Por Recife
A situação ficou insustentável. O sexto jogo sem vitória encerrou a passagem de Argel pelo Inter. Após a derrota por 1 a 0 para o Santa Cruz neste domingo, a direção demitiu o treinador e agora volta ao mercado para encontrar alguém para comandar a equipe neste segundo semestre.
A confirmação da demissão foi por meio do site oficial do Inter, após reunião da diretoria do Inter no hotel da delegação em Recife. O técnico permaneceu por quase 11 meses no cargo. Neste período, foram 61 partidas com 32 vitórias, acumulando 60,6% de aproveitamento.
– O Sport Club Internacional, através de sua diretoria, decidiu tomar novos rumos na temporada e o treinador Argel Fucks deixa o comando da equipe. O Inter agradece a Argel pela dedicação, trabalho e conquistas no período e deseja sorte na sequência de sua exitosa carreira – publicou o comunicado. 
Argel SANTA CRUZ x INTER (Foto: Agencia Estado)Argel na derrota diante do Santa Cruz (Foto: Agencia Estado)

LEIA MAIS
> Direção agenda reunião para definir situação do técnico
> Tempo Real de Santa Cruz 1x0 Inter

Antes do duelo em Recife, o presidente Vitorio Piffero havia garantido a permanência do treinador em qualquer circunstância. No entanto, Argel não conseguiu resistir após a derrota, somada a fraca atuação diante de uma equipe que vinha de cinco derrotas consecutivas. 

Na entrevista coletiva, Argel disse que não pediria demissão. Mas admitiu a fase difícil e deixou o futuro a cargo da direção, que optou pela mudança de comando. 

– Futebol não vive de relacionamento, mas de resultado. Sou o único responsável pelo momento. Não sou treinador de abandonar o barco. Meu cargo sempre está a disposição e quem definirá é o presidente. É ele quem tem a caneta para fazer o que entende melhor para a instituição – admitiu, após a partida. 
Argel - SANTA CRUZ x INTER (Foto: Agência Estado)Argel não resistiu após a sexta partida sem vitória (Foto: Agência Estado)
Durante a estadia no Beira-Rio, Argel se apegava aos resultados como escudo de seu trabalho. A produção foi vistosa em poucas oportunidades. Porém, tinha o grupo nas mãos. Os jogadores nunca esconderam o carinho a dedicação para devolver as ações do chefe.
A sequência negativa, entretanto, complicou sua permanência. Às vésperas do Gre-Nal – derrota por 1 a 0 –, um áudio vazado do técnico dizia que "se Deus quiser, passaria o trator por cima deles". Após o revés, os jogadores gremistas provocaram e disseram que as palavras do Colorado foram utilizadas para motivar ainda mais o grupo.
Arrancada em 2015
Sob sua batuta, Argel fez o Inter ter a segunda melhor campanha no returno do Brasileirão em 2015, mas não o suficiente para colocar a equipe na Libertadores. Neste ano, ficou com as taças da Recopa Gaúcha e o Gauchão.
Argel foi contratado para substituir Diego Aguirre. Seu nome acabou escolhido após as negativas de Muricy Ramalho, Mano Menezes e Jorge Sampaoli. A decisão pelo ex-zagueiro veio por ter um perfil "sanguíneo", diferente do uruguaio, mais comedido. 

Nenhum comentário: