quarta-feira, 16 de setembro de 2015

16/09/2015 09h41 - Atualizado em 16/09/2015 18h36

"Gaúcho da Copa" morre aos 60 anos em Porto Alegre vítima de câncer

Clóvis Acosta Fernandes acompanhou sete Copas do Mundo com o Brasil.
Ele lutava contra um câncer há nove anos e faleceu nesta quarta-feira

Por Porto Alegre
Chimarrão, uma réplica da taça da Copa do Mundo e muita paixão verde e amarela expressa no vestuário. Foi assim que Clóvis Acosta Fernandes se tornou um torcedor símbolo do Rio Grande do Sul mundo afora. Após sete mundiais, o Gaúcho da Copa - como ficou conhecido - morreu nesta quarta-feira, aos 60 anos, em Porto Alegre. Clóvis lutava contra um câncer há nove anos. A morte foi confirmado pelo Hospital Santa Casa.

LEIA MAIS
> Torcedor é homenageado pela seleção alemã
Clóvis tornou torcedor símbolo após seguir a Seleção Brasileira em sete mundiais consecutivos, desde a Copa do Mundo realizada na Itália, em 1990. A notoriedade, no entanto, viria em 2002, no Mundial da Coreia do Sul e do Japão, em que aparecia frequentemente nas transmissões de televisão - tornou-se uma espécie de talismã da conquista do Penta. 
gaucho da copa uberaba 2014 seleção (Foto: Alex Rocha)Clóvis acompanhou a Seleção Brasileira em sete Copas do Mundo (Foto: Alex Rocha)


Em 2014, em sua última Copa, Clovis não deixou por menos e tirou fotos até com as mulheres dos alemães Götze e Schürrle antes da decisão do Mundial, entre Alemanha e Argentina. Gremista fanático, tinha como desejo que parte de suas cinzas fossem jogadas  na Arena tricolor e em algum jogo do Brasil.
- Ele escolheu morrer um dia após o aniversário do Grêmio e na Semana Farroupilha. Ele era gremista fanático - disse o filho Frank Damasceno Fernandes, em entrevista à Rádio Gaúcha.
O Gaúcho da Copa ia além dos Mundiais e também acompanhava a equipe brasileira em Copas Américas, das Confederações e Olimpíadas. Percorreu mais de 60 países e assistiu a mais de 150 partidas da Seleção. 

Nenhum comentário: