terça-feira, 17 de dezembro de 2013

 - Atualizado em 

Mundial perdido faz aniversário,
e Ronaldinho quer vingar derrota

Há sete anos, craque perdia final pelo Barcelona contra o Inter. Ele se
diz especialmente motivado agora: ‘Sei como é ruim vir e não conquistar’

Por Direto de Marrakesh, Marrocos
49 comentários
 
A primeira entrevista deRonaldinho Gaúcho no Marrocos coincidiu com o aniversário de sete anos da derrota dele pelo Barcelona, contra o Inter, no único Mundial que ele disputou antes deste. Em 17 de dezembro de 2006, depois se tornar o melhor jogador do mundo com a camisa catalã, o jogador começou sua derrocada no clube ao ser batido por 1 a 0 pela equipe colorada – justamente a maior rival de seu time de infância e criação, o Grêmio. Agora, R10 parte em busca do Mundial perdido.
Aquela derrota doeu em Ronaldinho. As imagens dele saindo de campo derrotado em Yokohama, depois do gol marcado por Adriano Gabiru, mostram um atleta extremamente abatido, aparentemente perplexo com o resultado. O Barcelona não calculava que pudesse perder aquele jogo. 
É uma lembrança que Ronaldinho não apagou. Multicampeão, ele não tem esse título. E espera conquistá-lo agora, sete anos depois, com o Atlético.
- A tristeza foi grande. Era um título importante para mim. Isso serve de motivação para voltar para casa feliz desta vez. Sei como é ruim vir para um Mundial e não conquistar. É uma motivação para mim - disse o jogador.
Ronaldinho Gaúcho dá primeira entrevista no Marrocos (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)Ronaldinho quer o Mundial, título que não conseguiu no Barcelona (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)


O camisa 10 vive agora o outro lado da moeda. Joga no time sul-americano, não no europeu. Está na parte geralmente mais motivada da disputa. E defende um clube para o qual a conquista tem valor incalculável. 

- É a primeira vez que o clube está vindo aqui. Em 100 anos, é a primeira oportunidade. Os jogadores querem entrar na história.  A única diferença é essa. São momentos diferentes. Da outra vez que vim, também queria muito ganhar - comentou Ronaldinho. 
Em 2006, Ronaldinho ficou com a imagem da frustração. O Barcelona não teve no Mundial seu principal atacante, Samuel Eto’o, e sua maior revelação, um certo Lionel Messi. Caiu em R10 a responsabilidade de decidir. 
 
Contra o Inter, ele foi o jogador mais perigoso do Barça – junto com Deco. Extremamente bem marcado, conseguiu criar chances de gol. Quase marcou em cobrança de falta que passou a milímetros da trave de Clemer (veja no vídeo ao lado). Mas não foi decisivo. Não foi campeão.

Em 2013, é novamente nele que se depositam as esperanças de outra torcida fanática. Mas em outro momento - mais experiente, menos explosivo. E extremamente motivado, diz ele.

- Tive uma lesão há pouco tempo. Fiz toda essa preparação para chegar aqui. É uma motivação fora do normal. Poucos atletas têm a oportunidade de disputar mais uma vez essa competição. Isso tudo motiva muito.

Ronaldinho Gaúcho e seus colegas de Atlético estreiam nesta quarta-feira no Mundial de Clubes. O adversário é o Raja Casablanca, do Marrocos, às 17h30m (horário de Brasília).

Nenhum comentário: