domingo, 6 de outubro de 2013

VITÓRIA DO INTERNACIONAL

 
A CRÔNICA
por GLOBOESPORTE.COM
258 comentários
Leandro Damião reencontrou a titularidade. E, por consequência, o Inter acabou reencontrando a vitória, depois de quatro derrotas no Campeonato Brasileiro (Bahia, Portuguesa, Cruzeiro e Vasco) e um empate na Copa do Brasil. Pela 26ª rodada, foi do atacante o gol decisivo na vitória por 1 a 0 sobre o Fluminense, no Estádio Centenário, em Caxias do Sul, o que ajuda os colorados a seguirem vivos na briga pelo G-4, agora com 37 pontos, seis a menos que o Botafogo, último time da zona de classificação à Libertadores. O Tricolor, que jogou cheio de desfalques, encerra uma sequência de oito partidas invicto, fica com 34 pontos e se distancia mais do sonho de garantir vaga na competição continental ano que vem.
A entrada de Damião após dois jogos na reserva não foi a única novidade - ele estava há 12 sem balançar a rede. No banco também havia diferença. Chamado para comandar o Inter interinamente após demissão de Dunga, Clemer tratou de devolver a Leandro Damião a condição de titular. Gritou bastante, mostrou descontentamento em alguns momentos. Do lado tricolor Vanderlei Luxemburgo não era visto. Em uma cabine do estádio, o treinador observou o time comandado por Junior Lopes. Suspenso por duas partidas pela sua expulsão contra a Portuguesa, era o que lhe restava.

- O jogo foi muito difícil, mas o importante hoje não era jogar bem, mas conquistar a vitória. Todo mundo se entregou. Desde o D’Alessandro, que no início do jogo já estava dando carrinho. Isso passou para todo o grupo, que se entregou o tempo todo - vibrou Clemer.

Na sua estreia como profissional pelo Fluminense, o goleiro Kléver executou três defesas difíceis, mas não foi o suficiente.

- Queria mesmo era a vitória, independentemente de ter ido bem. Saímos daqui tristes pela derrota. Com certeza, estou há muito tempo aqui, ralando bastante, fui bem, mas o resultado não foi o que esperávamos - resumiu o goleiro.

Para o meio de semana quem embarcará para o Rio de Janeiro é o Internacional. Na próxima quinta-feira os colorados têm encontro marcado com o Flamengo, no Maracanã, às 21h (horário de Brasília). Paradoxalmente o Fluminense sequer fará escala no Rio para o clássico com o Vasco. Quarta-feira, às 21h50m, os rivais se enfrentam na Ressacada, em Santa Catarina.
Leandro Damião e Valdivia gol Internacional x Fluminense (Foto: Luca Erbes/ Ag. Estado)Sem camisa, Damião comemora o gol da vitória colorada (Foto: Luca Erbes/ Ag. Estado)
Bola parada e chute de fora da área
Os três volantes no time do Fluminense não indicavam necessariamente um meio de campo essencialmente defensivo. Jean e Rafinha tiveram liberdade para criar; distribuíram passes, enquanto Fábio Braga, o terceiro integrante do trio, ficou mais contido na marcação. Otávio mais aberto pela direita e Jorge Henrique pela esquerda, com Leandro Damião centralizado também não indicavam insistentes jogadas pelas pontas no Inter. As bolas paradas e chutes de fora da área eram as alternativas mais utilizadas.
Foram muitos chutes de fora dos dois lados. E Clemer se esgoelava à beira do campo para pedir mais atenção com Rafael Sobis. Tinha toda razão, pois o atacante usufruiu de liberdade suficiente para mandar um chute rente ao travessão.

O jogo estava truncado. D’Alessandro passou a ser o mais caçado. Ele não só batia as faltas como as sofria, com seis no primeiro tempo, o líder no quesito. Mas um escanteio é que quase terminou em gol. O argentino cobrou curto, Gabriel mandou para a área, houve um toque de letra e Fabrício quase marcou. Kléver, em sua estreia como profissional, fez boa defesa.
O Inter encontrou Kléver no caminho
Biro Biro Fluminense x internacional (Foto: Photocâmera)Biro Biro, do Fluminense, recebe o combate de Gabriel em Caxias do Sul (Foto: Photocâmera)
O trabalho do goleiro só aumentou no segundo tempo. A defesa começou a bater cabeça, e um chute torto de Rafael Sobis ficou na área do Flu. Logo depois, D’Alessandro pegou de fora e avisou a Kléver que ele seria cada vez mais testado. Mal dava para digerir um lance e lá vinha outro. Leandro Damião, de bicicleta, conseguiu encontrar Otávio livre. O goleiro saiu no momento certo para abafar. Depois o próprio Damião fez o teste. Kléver foi aprovado novamente.
O Fluminense resumia seu jogo a chutes de longa distância. Muriel ainda deu rebote nos pés de Sobis. Mas o cruzamento parou na defesa. Junior Lopes começou então a alterar. Inverteu Igor Julião com Bruno, que passou para a esquerda, nas laterais. Tirou Rafinha para a entrada Rhayner, e o veloz Biro Biro deu lugar a Samuel.

O Inter, porém, seguiu com a pressão. Kléver não tinha muito o que fazer quando um cruzamento da direita tocou em Julião antes de sobrar limpa para Leandro Damião balançar a rede depois de 12 partidas sem marcar. Levantar a bola não rendeu muitos frutos para os tricolores, e a maior posse do Inter segurou o tempo e garantiu o triunfo. Pouco antes do apito final Fábio Braga ainda recebeu o cartão vermelho por falta em Willians.

Nenhum comentário: