quinta-feira, 17 de outubro de 2013

- Atualizado em

Inter ignora atritos e convida Falcão, Fernandão e Dunga para reabertura

Ídolos quando atletas, treinadores trabalharam com Luigi e foram demitidos. Festa do Beira-Rio é em 5 de abril, e Adriano Gabiru também foi convidado

Por Porto Alegre
194 comentários
falcão bahia (Foto: Eric Luis Carvalho/Globoesporte.com)Falcão saiu brigado com o presidente Luigi
(Foto: Eric Luis Carvalho/Globoesporte.com)
Nada de apagar a história. Qualquer tipo de rusga ficou para trás. Os ídolos Paulo Roberto Falcão, Fernandão e Dunga, que tiveram passagens como treinadores na gestão do presidente Giovanni Luigi e acabaram demitidos, foram convidados para participar da reabertura do Beira-Rio, em festa marcada para 5 de abril de 2014 e batizada de "Protagonistas" (leia mais detalhes aqui).
- Todos os ídolos do Inter serão convidados. Falcão, Figueroa e Fernandão estarão aqui. A grande historia estará aqui. O Fernandão já até confirmou presença - afirmou o secretário-geral e presidente da comissão de reinauguração do Beira-Rio, Gelson Pires.
Dos três ex-jogadores, o capitão do tetra foi o último a passar pelo comando. Acabou desligado do cargo há 11 dias após perder quatro partidas seguidas pelo Brasileirão. Já Fernandão e Falcão, dois dos maiores jogadores da história colorada, tiveram suas saídas semelhantes. Ambos choraram no adeus.
Novidade: confira a página especial sobre o novo Beira-Rio

Fernandão, que era diretor executivo e mudou de função em meio ao Brasileirão de 2012, substituindo Dorival Júnior, acabou desligado a duas rodadas do término da competição. À frente dos jogadores, o eterno capitão das conquistas da Libertadores e do Mundial em 2006 sofreu com a dificuldade para conter o ímpeto do turbulento vestiário. O ápice ocorreu quando Bolívar se recusou a concentrar antes da partida com o Corinthians (derrota por 2 a 0), que culminou com a queda
A situação de Falcão foi ainda mais atribulada. O ex-volante, protagonista dos títulos brasileiros de 1975, 76 e 79 acabou alijado por Luigi após perder por São Paulo por 3 a 0 no Beira-Rio em 2011.

Em sua entrevista coletiva de despedida, não escondeu toda a mágoa com o mandatário. Disse que ouviu promessas de chegadas de reforços que nunca se confirmaram. Ainda revelou que, no revés para o Corinthians por 1 a 0, três dias antes do embate com o Tricolor do Morumbi, Luigi tinha gostado do desempenho do time. Questionado como era o seu relacionamento com o presidente, disparou afirmando que sequer existia um diálogo.
- Não vou analisar a figura do presidente. Não vamos perder tempo com isso. O Inter é maior do que os comandos, muito maior. Minha relação com o Luigi é zero. Você acha que o presidente me queria como treinador? Discutir escalação não pode ser discutido. Ou se confia no profissional, ou se troca. Fica difícil fazer trabalho onde existe desconfiança - disse, no dia de sua demissão.
Além do trio de ex-treinadores, outro histórico jogador recebeu o convite: Adriano Gabiru. O meia foi o autor do gol contra o Barcelona na final do Mundial de Clubes em 2006.

Nenhum comentário: