quarta-feira, 9 de outubro de 2013

- Atualizado em

Membrana está a caminho e promete dar 'requinte' à cobertura do Beira-Rio

Ideia é aprontar cobertura até fim de novembro, mesmo com problemas financeiros da fornecedora. Seis peças já chegaram ao Brasil

Por Porto Alegre
476 comentários
Projeção da nova cobertura do Beira-Rio (Foto: Hype / Reprodução)Projeção da nova cobertura do Beira-Rio
(Foto: Hype / Reprodução)
O futuro Beira-Rio está prestes a se tornar realidade. A partir da próxima semana, é possível dizer que a modernização ingressará na última das principais etapas de reformulação. É quando o clube estima o início da instalação da membrana da cobertura do estádio - hoje quase 90% finalizado. A colocação da estrutura será responsável por mudar a "cara" da casa colorada e lhe dará um tom mais moderno. Ou "requinte", nas palavras do próprio clube.
De acordo com o presidente do Inter, Giovanni Luigi, a ideia é finalizar o teto por completo em 30 de novembro e entregar o estádio em 31 de dezembro. Seis peças da membrana já estão em território brasileiro. De navio, outras 24 fatias estão em meio ao Oceano Atlântico.
- Tanto a estutura metálica quanto a membrana estão dentro do cronograma, dentro das condições normais para que até o dia 30 de novembro nós tenhamos a cobertura pronta. Uma parte da membrana já foi embarcada e chegará aqui nos próximos dez dias.
Há, no entanto, um pequeno entrave para a instalação do "charme" da casa colorada. De acordo com publicação no The Wall Street Journal, a Hightex, empresa responsável pelo equipamento, se encontra em crise financeira e atingiu lucros inferiores ao esperado.
- Conhecemos o problema, mas a dificuldade da Hightex não interferirá no cronograma do Beira-Rio, que tem previsão de conclusão em 31 de dezembro - assegura Marcelo Flores, executivo Chefe (CEO) da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Holding Beira-Rio S/A, a BRio.
- Nós confiamos no potencial da construtora, que supere os contratempos e mantenha o prazo - reforça a vice-presidente e arquiteta Diana Oliveira.
Projeção da reabertura do Beira-Rio (Foto: Hype / Reprodução )Projeção da reabertura do Beira-Rio com a mebrana em vermelho (Foto: Hype / Reprodução )
A membrana luminosa não será exclusividade do Beira-Rio para a Copa. Em maio, a Hightex encerrou a instalação da membrana no Maracanã. A empresa também é responsável pelo material da Arena das Dunas, em Natal. Para as operações no Brasil, a companhia formou um ‘joint venture’ chamado SEPA Hightex Coberturas. Para assegurar o capital de giro, a empresa conseguiu um empréstimo de 250 mil euros. Somente a instalação da membrana no Beira-Rio, por exemplo, deverá movimentar um montante de R$ 10 milhões. Ao mesmo tempo, ainda que em fase financeira complicada, a companhia segue de olho em investimentos para a Copa de 2018, que será realizada na Rússia.

Alemanha foi inspiração para a membrana
Membrana da cobertura do estádio de Stuttgart, na Alemanha   (Foto: Fernando Balvedi / Arquivo pessoal)Membrana da cobertura do estádio de Stuttgart
(Foto: Fernando Balvedi / Arquivo pessoal)
O embrião dessa ideia iluminada nasceu em 2007, já com o projeto Gigante para Sempre em andamento. Em agosto daquele ano, a agência Hype Studio apresentou para a Fifa o esboço daquele estádio sonhado. Segundo o arquiteto Fernando Balvedi, um dos sócios da empresa, ainda não havia a definição de qual material seria utilizado como revestimento do esqueleto de ferro. Partiram atrás de inspiração. O centelho veio com a visita de estádios alemães - reformados e modernizados para a Copa de 2006. A ideia casou com um material bonito e ainda de manutenção simples.
- Tivemos um contato mais técnico e aprendemos bastante sobre o material quando visitamos os estádios da Alemanha em outubro de 2007 (a Copa da Alemanha havia ocorrido um ano antes). Vimos o PTFE em Stuttgart, Hamburgo, Gelsenkirchen e Berlin. Lá escutamos os operadores dos estádios relatarem a durabilidade e a manutenção zero do material, uma vez que a chuva lava a membrana. Acho que do Allianz veio a ideia de jogar luz colorida na membrana pra fazer o estádio mudar de cor - explica Balvedi.
Beira-Rio visita Fifa (Foto: Felippe Costa)À espera da membrana, construtora finaliza estrutura metálica da cobertura (Foto: Felippe Costa)
Como vantagem, a membrana também conta com durabilidade do material superior a 30 anos e suporta enormes variações de temperaturas (de -200 ºC a 260 ºC). É um material imune a radiação ultravioleta e a agentes corrosivos. Ao todo, será instalado em uma área que percorrerá 44.000 m². Enquanto a membrana não chega, seguem os trabalhos para a conclusão da estrutura metálica que dará sustentação ao material que virá de navio a Porto Alegre. O Beira-Rio já está quase completamente envolto pelas peças - a ideia é fechá-lo ainda em outubro.
- Estamos olhando todos os dias o estádio e já vemos um esqueleto bonito. Hoje, já chama atenção. A membrana vai coroar e dar o requinte ao estádio. É o último percurso - afirma Diana.
Os torcedores que quiserem conhecer a membrana já podem o fazer no Centro de Visitantes do Beira-Rio. No local, há duas peças pequenas em exposição, além da maquete completa de como ficará o complexo do estádio. O Beira-Rio receberá cinco jogos da Copa do Mundo de 2014.
Confira as notícias do esporte gaúcho no globoesporte.com/rs

Nenhum comentário: