segunda-feira, 25 de junho de 2012


25/06/2012 17h53 - Atualizado em 25/06/2012 19h30

Após Justiça interditar Beira-Rio, Inter promete recorrer até quinta-feira

Advogado colorado Mauro Glashester afirmou que clube entre com recurso entre quarta e quinta-feira

Por Tomás HammesPorto Alegre
5 comentários
Obras no Beira-Rio (Foto: Diego Guichard/GLOBOESPORTE.COM)Inter descarta utilizar Beira-Rio sem público (Foto:
Diego Guichard/GLOBOESPORTE.COM)
Após a Justiça decidir pela interdição do Beira-Rio, o Inter busca agora recorrer da decisão. O departamento jurídico colorado, a partir desta segunda, tem 10 dias para interpor o recurso a fim de obter uma liminar que permitirá ao time a seguir atuando em sua casa. No entanto, o clube deve entrar ainda nesta semana com o pedido.
O advogado Mauro Glashester afirmou que o pedido deve ocorrer em até 72 horas. Embora revele que uma nova inspeção do Ministério Público está praticamente descartada, mantém a esperança em reverter a decisão proferida na última sexta-feira:
– Nós temos 10 dias a partir de hoje e vamos recorrer. A ideia é entrar com o recurso entre quarta e quinta-feira e desconstituir essa decisão que foi proferida. Acreditamos que temos boas possibilidades.
Glashester revelou que atuar no Beira-Rio sem o apoio da torcida está descartado. No entanto, deixa em aberto a possibilidade de a direção optar em utilizar apenas o anel superior do estádio:
– Jogo sem público não existe. Veremos qual será a decisão e aí teremos que pensar se só a superior ficará aberta.
 
Na última sexta-feira, o juiz Ricardo dos Santos Costa, da 16ª Vara Cível de Porto Alegre, decidiu pela interdição do Beira-Rio para eventos esportivos e culturais que impliquem utilização das arquibancadas. As demais áreas do complexo seguem liberadas.
Enquanto não consegue a reversão do caso, o Inter estuda outras possibilidades de locais para mandar os seus jogos. O Estádio Olímpico está descartado. A direção aposta no tempo que tem a seu favor. O próximo jogo do Inter como mandante é apenas no dia 7 de julho contra o Cruzeiro. Neste final de semana, o clube enfrenta o Bahia, no Pituaçu.
Entenda o caso
O Ministério Público ajuizou no dia 24 de maio uma ação civil pública para que fosse determinada a interdição do Complexo Beira-Rio. De acordo com a Promotoria de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística de Porto Alegre, as edificações não possuem alvará de Prevenção e Proteção contra Incêndios. Por causa disso, o Inter acabou criando uma própria brigada de incêndio, treinando funcionários para agir em eventuais incidentes.
De acordo com os autores da ação, por mais que o Inter tente isolar as áreas que estão sendo demolidas, colocando cercas, seguranças e cachorros, se houver um tumulto, a torcida pode se tornar incontrolável. A ação pede fixação de multa por descumprimento no valor de R$ 1 milhão por evento realizado nas condições atuais.
 

Nenhum comentário: